julho 16, 2018

БОРИС РАЙТШУСТЕР

 “Que vergonha é a cabeça do estado, um homem que se mantém debaixo do guarda-chuva e deixa uma mulher, sim, ainda um convidado e também um presidente, de pé, sem um guarda-chuva debaixo da chuva. Vergonhoso! E o mundo inteiro viu!” 

(No facebook do cartunista Nikola Listes)

MUSÉE DU LOUVRE: FERMÉ



Na final ontem, o Louvre não abriu. No facebook, uma nota:

“Final da Copa do mundo 2018
Devido às medidas de restrição nos transportes públicos e na circulação nas imediações do domínio do Louvre, o museu do Louvre fechou excepcionalmente as suas portas às 17 h deste domingo, 15 de julho.
Obrigado pela sua compreensão.”
Só pra lembrar: o valor do ingresso é 17 euros.

DO MEU BLOQUINHO



Cada um na sua própria redoma. Transparentes, embotadas.  De ferro, azinhavradas. Louça, trincada. Na redoma pensam que se protegem, mas afastam. Iludem-se, amados. Viajam, estudam, mas a vida não liberta o lado esquerdo, encouraçado. O distante, ambicionam, sem perceber ao lado. Redomas isolam. Egoístas, egocêntricos, umbigueiros, não assimilam, não se deixam afectar. E não é só questão de renda. Mas de humanidade, mesmo. Os redomados, individualistas e miseráveis. Não invejo um pedaço da sua grama de golfe, do seu horizonte líquido, suas gratidões, os sunset com champanhe. Um grande esforço para não julgar suas podres aspirações.

ÁLBUM DE FAMÍLIA MANEQUIM


"Por que você ainda não está casada?"
De tanto ouvir isso, a artista Suzanne Heintz decidiu comprar um marido e uma filha de plástico.
E passou a fotografar sua "família instantânea", como crítica às expectativas em relação à vida das pessoas e ao papel da mulher."


SANTIAGO


"Allons enfants de la mama África!"

julho 12, 2018

ABRÃO SLAVUTZKY

photo by George Zongolopoulo

“Somos sonhadores;
se não formos sonhadores,
não somos nada.”

ACADEMIA LITERARIA



A cadeira número 7 da Academia Brasileira de Letras vagou com o falecimento do cineasta Nelson Pereira dos Santos, no dia 21 de abril.  Uma próxima  eleição está marcada para o dia 30 de agosto.

São 40 cadeiras. A de número 7 tem como patrono,  Castro Alves. Só uma mulher sentou nela: a romancista e cronista Diná Silveira de Queiróz.

Estou na torcida por Conceição Evaristo, candidata a cadeira.
Também ela seria a sétima mulher a ocupar um lugar no meio daquele bando de brancos, bigodudos  e carecas literários.

Evaristo estreou na literatura no início dos anos 90, com obras publicadas na série Cadernos Negros. É mestra em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, e doutora em Literatura pela Universidade Federal Fluminense.

Seu livro "Ponciá Vicêncio" foi publicados nos States e é sobre discriminação:racial, gênero e  classe.  A escritora dá aulas na UFMG como professora visitante.



Minha cidade também tem uma academia literária. Estou orgulhosa que passaram a perna na ABL: no dia 25, a doutora em Literatura Rosane Cardoso, professora na Univates e Unisc, vai assumir a cadeira 22. Algumas coisas já estão mudando na minha aldeia...Ufa!

DIA MUNDIAL DO ROCK


No show do Genesis, durante o  festival Live Aid, em Londres e na Filadélfia, Phill Collins  declarou aquele 13 de julho de 1985 como o “Dia Mundial do Rock”.
“Mas a data não é tão mundial assim – diz na revista Superinteressante - Nem os americanos nem os ingleses levaram a sério. Só brasileiros e as rádios rock do Brasil, desde aquela época, passaram a considerar esse o Dia do Rock” -  explicou o cantor, radialista, compositor  jornalista Kid Vinil,  autor do Almanaque do Rock, quando ainda vivo.

Como boa vinileira - pronto criei o termo - guardo os dois primeiros elepês de rock que comprei nos anos 70.

Beleza, né?

ROBIN & IVA


Um dia tudo se ajeita... Mas às vezes demora. Quem diria que minha cidade teria TRÊS teatros?!!

O mais antigo, do SESC. É o que traz as peças teatrais mais bacanas. Sem falar nas exposições!

O teatro da universidade, que deveria ter um nome, não só o sobrenome: Univates.  É muito profi, bonito, 1.100 lugares ou algo assim.
E o teatro da escola evangélica: uma pequena grande joia.

Abrindo  ( Um dia vi numa sala de musica sem graça dessa escola um dos maiores pianistas do mundo: Nelson Freire. Dias atrás esteve no Teatro São Pedro, em Porto Alegre. Com todas as honras & pompas – agora sim deveriam convidá-lo novamente, para reinaugurar o espaço)

Mas, quem passou pelo Teatro do Ceat foi o guitarrista Robin Barenjee que tocou com a banda Mr. Soul (Lajeado) e Kelly Matos (Estrela) num belo tributo à Amy Winehouse, de encher todos aldeões de orgulho.  Barenjee, uma simpatia, aceitou amizade no feissibuqui. No mesmo dia em que fiquei amiga da Iva, a senhora que mora no interior e nos fornece mel. Essas sutilezas da vida me enchem de alegria.

Um dia tudo se ajeita e vamos ter uma classe artística forte. É esperar o próximo século. Às vezes demora, claro, já escrevi, etc, etc...

GILMAR

Que linda vingança!

https://gilmar.blogosfera.uol.com.br/

maio 04, 2018

FAULKNER



O SEGREDO FRANCES

 A mãe faleceu. Dias depois, o ritual de separar as coisas. Dar, doar. Lembranças boas, risadas acompanhadas das recordações. A irmã alcança uma caixa para um dos irmãos:
- Quer essa cachaça? 

Um dos irmãos confere, displicente, a caixa velha. Ele quer. 

Em casa, examina o que lhe coube. Vai para internet pesquisar.
Guarda a cachaça.

No primeiro Natal sem a mãe, chama os irmãos para brindar com a tal cachaça - um legítimo Armagnac de 90 anos e valor estimado em 14 mil reais,conforme site de leilão.

Lê – se,  armanhaque,  e lembra um conhaque. Feito a rima.

Provei a cachaça francesa de 1928... Deslizou macio na minha garganta plebeia.

A pergunta que não quer calar:

- Quem deu esse Armagnac  pra nossa mãe? Por que ela nunca mostrou? Ou contou?

Naquela noite, de tudo ouvido e saboreado, magnânimo, o irmão chamar os outros dois para um brinde tão especial.

Moral dessa conversa: nunca renegue uma cachacinha antiga...

AS LAVADEIRAS



O poeta e músico americano Josua Idehen, no Twitter,  definiu cada uma das tendências sócio-políticas e críticas mais em voga na atualidade, utilizando uma metáfora bastante reconhecível: 

sua mãe lavando a roupa.

Capitalismo: sua mãe lava suas roupas. Você a paga um dólar. Ela reclama. Você chama a polícia e afirma que ela é uma vândala.

Novo capitalismo: sua mãe lava a roupa. Você a paga um dólar. Você faz ela lavar as roupas dos seus amigos. Seus amigos lhe pagam 50 dólares.

Comunismo: sua mãe lava as roupas. Você lava as roupas. Toda noite você saúda uma foto de seu pai.

Socialismo: sua mãe lava a roupa. Você cozinha. Todos ficam teoricamente felizes.

Fascismo: sua mãe lava a roupa enquanto teme pela própria vida.

Liberalismo: você vê sua mãe lavando a roupa e se sente realmente mal. “Algo precisa ser feito”, você diz. Algo pode ou não ser feito.

Apropriação cultural: enquanto sua mãe lava a roupa, você rouba as roupas sujas dela e a imita em público. As pessoas lhe dão dinheiro.

Feminismo branco: sua mãe contrata uma mulher de cor para lavar a roupa.

http://www.hypeness.com.br


PREMIO NOBEL DE LITERATURA NO FORNO





Em respeito aos que já ganharam e aos que ainda irão ganhar o prêmio Nobel de Literatura, esse ano não vai ter pra ninguém.

A premiação foi adiada após o escândalo de vazamento de denúncias de abuso sexual que envolve diversos membros da Academia Sueca.

* Mas não se salva ninguém nesse hospício chamado humanidade...


"O Prêmio Nobel 2018 de Literatura será designado e anunciado ao mesmo tempo que o premiado de 2019", diz o comunicado da instituição.”


maio 02, 2018

NELSON MANDELA

photo by Elliot Erwitt

"Ainda há gente que não sabe, 
quando se levanta,
de onde virá a próxima refeição
e há crianças com fome que choram."

“ OLHOS ABERTOS, O LONGE É PERTO, O QUE VALE É O SONHO"


Hoje morreu o músico e compositor Mário Barbará.
De câncer no fígado.  Foi Chico Saratt, seu parceiro musical, quem informou à imprensa.

A sensação que tenho é que uma parte de mim, também se foi.
Foi assim com a Elis, Gonzaguinha e Belchior.

Choro. Meu tempo de Porto Alegre, morreu.

PAULO HEBMÜLLER


Sobre o prédio de 24 andares , que desabou durante um incêndio – criminoso -  no Largo do Paissandu, no centro de São Paulo, na madrugada do Dia do Trabalho, o relato abaixo, do facebook:

O interior da igreja, em processo de restauração quase concluído

“Quantas instituições – públicas, privadas ou mesmo religiosas – podem dizer que recebem em seu interior cerca de 150 moradores de rua todas as semanas?

A Igreja Luterana do Centro de São Paulo – que foi quase inteiramente destruída no desabamento do prédio vizinho, nesta terça – podia.

Frequentei por vários anos aquela igreja, carregada de simbologia para o protestantismo brasileiro e a história da imigração alemã em São Paulo e no país.
vitral do início do século 20

Vitrais e muitas peças de valor histórico da construção 
inaugurada há exatos 110 anos estão perdidos.


Desde 1999 a comunidade mantinha um trabalho com moradores de rua do Centro. Eles participavam de uma celebração no templo – vale repetir a pergunta:
quantas instituições você conhece que recebem em seu interior 150 moradores de rua todas as semanas? – e faziam também outras atividades.

O templo visto do Largo do Paissandu na década de 1950


Mas, se o templo pode ser reconstruído, muito mais difícil é lidar com a degradação cada vez mais aprofundada das condições de vida da população brasileira, da qual toda essa tragédia dá um testemunho brutal."



NOAM CHOMSKY






Em entrevista à jornalista Patrícia Campos Mello, do jornal Folha de S. Paulo, o linguista americano Noam Chomsky, uma referência mundial da esquerda e do pensamento teórico, afirma que a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é uma injustiça e uma vingança das classes dominantes, inconformadas com as reformas do governo petista:

"O rigor da punição, além da rejeição do pedido de habeas corpus, vai muito além do crime alegado, e essa punição só pode ser interpretada como parte de um ataque generalizado das classes privilegiadas contra tudo o que o governo Lula representou. 

Na realidade, Lula está sendo punido pelas políticas reformistas que deram um apoio muito necessário à massa da população que é reprimida. O fato de "essa gente" ter voz na determinação dos rumos do governo, em vez de ficar em seu lugar na base da pirâmide social, é ainda mais intolerável para as classes dominantes. 

O objetivo mais imediato é impedir Lula de se candidatar em uma eleição que ele certamente venceria, de acordo com pesquisas recentes. "

https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/353357/Chomsky-Lula-%C3%A9-alvo-de-ataque-da-elite.htm

ARMANDINHO


VERDE QUE TE QUIERO VERDE

Quem mora rodeado de mata sabe que tudo cai, um dia: folhas, galhos, coquinhos, cocô de passarinho... cai até raio! Tudo se decompõe em material orgânico vivo. Tenho uma linda serrapilheira ao meu redor. Volta e meia, chega alguém e diz: vamu limpá tudo! Fico puta da cara. Vivi até aqui para ter um pequeno paraíso pra chamar de meu...


Onde tem verde, tem lindas mandalas de fios tecidos pelas aranhas. Onde tem árvores tem mosquito. - é vida!- diz meu amigo nativo que mora perto e me ajuda a manter a cor local. Comprei um livro sobre árvores da mata atlântica e dei para ele.  Maurício sabe o nome de todas as arvores ao meu redor, mas nem sempre coincidem com as existentes no livro - já descobriu.


Aqui tem formigas, lagartixas, cigarras, borboletas, gambás, ratões, passarinhos, aracuãs, cobra coral... Lagartos e sapos não tem mais: cães saltimbancos que atravessam os morros da Ferrugem, caçaram todos, infelizmente. Lei da vida?

abril 23, 2018

CESARE PAVESE


"É bom escrever
porque reúne as duas alegrias:

falar sozinho e falar a uma multidão"

300 MUSAS DA MUSICA BRASILEIRA


Quando Tom Jobim canta Um Nome de Mulher... Ou Rita Lee proclama em Todas mulheres do mundo, que toda mulher quer ser amada .. Toda mulher quer ser feliz...  Toda mulher se faz de coitada...  Toda mulher é meio Leila Diniz...  eu busco por elas na mpb ou na nova mmpb – musica machista popular brasileira.

Pensei em várias musas homenageadas -  ou  atacadas como em “Geni”, do Chico.  São letras machistas, românticas, debochadas.   Mulheres que provocam saudades. Outras,  raiva. Provocativas ou submissas.  Marias e Carolinas são tantas que perdi algumas...

Não me detive na letra, essa lista é apenas uma investigação lúdica que iniciou embaixo da nossa jabuticabeira, após um almoço de domingo.

Da curiosidade à pesquisa, tudo na internet. Poucas descobri nos meus vinis e cds.
Listo músicas com nome de mulheres com seus compositores ou na voz de quem fez sucesso.

São quase 300 canções – que não devem se repetir, apesar do nome ser o mesmo, mas a letra é diferente. Ficaram de fora vários gêneros como sertanejo, forró, rap, funk, samba... com rara exceção.

Quem você acha que fez mais músicas com nomes de mulher? Chico ou Jorge Ben?

Descobri um livro “Musas & Musicas”, de Rosane Queiroz, mas não comprei. Ainda!


Espero que você goste, e me avise se lembrou de alguma outra música ou encontrou algo errado na minha seleção:

Maria Helena, Nanci, Acorda, Estela, Adda, Florita, Isaura, Maria Laô – Francisco Alves
Dona Araci, Dona Emilia, Sinhá Ritinha – Noel Rosa
Maria Rosa, Carlucia,  Dona Divergência, Dona Judiaria, Inah; Ai, Margarida -  Lupicínio Rodrigues

Gilda; Ai, que saudades da Amélia – Mario Lago
Ai, Geni; Dona Alice, Dona Helena; Estela, a Porta Estandarte; Maria das Dores, Nega Nhanhã, Rosa  – Ari Barroso

Izaura, Odete, Dora – Herivelto Martins
Iracema; Aqui, Geralda, Malvina – Adoniran Barbosa
A culpada foi Quitéria – Bezerra da Silva

Sereia Guiomar – Dona Ivone Lara
Prece de Vitalina, Zefa Cangaceira – Dolores Duran
Dona Doninha, Elizeth – Suely Costa

Conceição, Isabella - Cauby Peixoto
Maria Bethânia – Nelson Gonçalves

Bouquê de Izabel -  Maysa
Severina Xique-xique,  Julieta, Beth Close, Florisbela - Genival Lacerda

Sebastiana, Marilu; Adeus, Iracema; Ana Rosa; Dança, Mariquinha; Mariá; Maria Baiana; Maria Cangaceira; Nega Zefa, Orélia, Rosinha, Xandusinha – Luiz Gonzaga

Cantiga para Luciana – Evinha (Trio Esperança)
Sá Marina, Clementina de Jesus, Ana Cristina (Meia Volta) ,Naná,  Belinha – Wilson Simonal

Ana Maria – Nico Fidenco

Dora, Marina, Modinha para Gabriela, Modinha pra Teresa Batista, Rosa Morena, Tia Anastacia, Adalgisa, Doralice, Maricotinha – Dorival Caymi
Dína – Pery Ribeiro

Lilian – Leno e Liliam
Stella – Fabio
Marianne, Roberta – Jerry Adriane

Lady Laura, Ana, Malena, Mexerico da Candinha; Rosinha, Susie – Roberto Carlos
Ciça, Cecília, Lucinha, Maria Joana – Erasmo Carlos
Silvia, Tereza Cristina – Ronnie Von

Claudia, Sheila, Tania, Suzana, Sha lala Marisa, Vera Lucia – Renato e seus Blue Caps
Cândida – The Fevers

Maria das Dores, Janira, Rosa da Fonte – Paulo Diniz
Fabiana, Maria Rita – Geraldo Vandré

Cadê Tereza?, Carolina Bela, Denize Rei, Dorothy, Xika da Silva, Rita Jeep, Jesualda, Domenica, Magnólia, Bebete Vambora, Katarina, Veruska, Lady Benedita, Lorraine,  Maria Luiza – Jorge Ben

Maria, Maria – Milton Nascimento
Alice – Flavio Venturini
Petúnia Resedá - Gonzaguinha
Clara, Crocodilo; Shirley Sombra  - Arrigo  Barnabé

Olha Maria; Luiza, Ligia, Tereza, Luciana, Ingrid, Tereza da praia, Ana Luiza, Bebel- Tom Jobim
Dora, Gilda, Irene, Eurídice – Vinicius de Moraes
Rosa Morena, Doralice; Odete, o meu lamento; Rosa Morena – João Gilberto

Meu nome é Gal – Gal Costa

Geni, Rita, Carolina, Cecília,  Januária, Beatriz, Barbara, Ana de Amsterdã, Teresinha, Rosa, - Angelica, Dona Carola, Joana Francesa;  Iracema, Maricotinha, Renata Maria, Sílvia, Teresinha - Chico Buarque



Cristina, Pequena Eva  - Roupa  Nova
Cinderela Aparecida, Elvira Pagú, Gloria F, Luz del fuego, Marília Gabriela, Michelle, Pagú, Yoko Ono, Piccola Marina, Scarlet Moon – Rita Lee 

Flora, Dora, Lady Neyde, Lia, Lindinalva, Lindonéia, Sandra, Luzia Luluza, Madalena, Pretinha,  – Gilberto Gil

Vera Gata, Tieta, Chiquita Bacana, A Rita, Clara Neide, Candolina, Clarice, Irene, Lisbela, Nicinha, Patricia – Caetano Veloso

Aline Maria, Angela, Lena, Nanny, Tania - Raul Seixas            
Rita Lee, Vírginia – Os Mutantes

Maria da Mercedes – Djavan
Adeus, Maria Fulô; Nara, Sexi Silvia - Joyce
Abigail caiu do céu; Ai, Aydée; Cigana Carmen -  João Bosco
Maria da Vila Matilde, Benedita, Alicinha, Sinhá Mandaçaia  – Elza Soares

Eu sou Lia; Maria Sambamba, Nega Luzia -  Paulinho da Viola


Senhora Dona, Ciranda da Mãe Nina; Íris, Maria dos Santos  – Alceu Valença
Luciela, Mary Mar  – Zé Ramalho

Acalanto para Helena; Cala a Boca, Bárbara; Maria Escandalosa - Ney Matogrosso
Doralinda – Cazuza

Madalena, Dinorah, Dandara;  Bia,Bia,Beatriz; Renata Maria  – Ivan Lins
Belinha; Carolina, Carol, Bela; Zana - Toquinho
Yolanda – Simone

Anna Bella, Sissi – Marina Lima
Garota Mata Hari, Laura Regina, Mônica  - Angela Ro Ro
Canção para Cristina; Geisa, Cristina, Linda Rosa  – Tim Maia

Amanda – Lulu Santos
Quando Nara ri – Adriana Calcanhoto

Cabocla , Guiomar, Mary Lu, Moqueca de Idalina, Nega Judite; O nome dela é Griselda; Pagode da dona Didi; Vou ver Juliana  – Zeca Pagodinho

Debora, Maria Fedida, Parque da Juraci, Valerie – Zeca Baleiro
Dorinha, meu Amor; Laura, Linda Tereza; Mary, Maura  – Luiz Melodia

Cadê, Dalila; Eva  – Ivete Sangalo
Maria Clara, Maria Cesaria, Nina – Daniela Mercury
Silvana – Zizi Possi
Bia, a Sonhadora – Oswaldo Montenegro



Bete Balanço – Barão Vermelho
Clarisse, Fátima, Leila, Mariane, Natália  – Renato Russo
Ana Julia, Melissa, Aline – Los Hermanos
Camila – Nenhum de Nós
Alice – Kid Abelha
Janaína – Biquíni Cavadão
Zoraide – Ultraje a Rigor
Katia Flavia – Fausto Fawcett

Monica Tricomônica, Babalu – Nei Lisboa
Carolina – Seu Jorge
Vania – Banda Uó
Monalisa, Ive Brussel, Olhos de Ísis – Jorge Vercillo

A bruxa Nicácia – Ana Carolina
Alzira e a Torre; Rita -  Lenine
Renata Ingrata – Latino
Caroline – Raça Negra
Jacira – Emicida
Gilda - Navelouca



AH, OS LIVROS...


Dia do livro hoje... Não esqueceu um por aí?


“A vida de um leitor não é feita somente dos momentos da leitura.
Há muita coisa que acontece nas outras horas.
A forma como cada livro chega, por exemplo.

Pode ser comprado, emprestado, presenteado, roubado, herdado.
Pode ser um exemplar que apareceu sem saber de onde, esquecido em uma mesa de bar, enviado por engano.

Algumas leituras são fruto da insistência de amigos: você precisa ler isso. Você tem que ler isso. Você não pode morrer sem ler esse livro...
(...)
O que todo leitor deve desejar é a sorte de ler os livros certos.
Que eles venham como presentes, empréstimos, obrigação, não importa.

Mas que sejam os melhores, que causem pequenas revoluções e despertem paixões literárias descontroladas que iluminem a vida.”

Socorro Acioli
https://www.opovo.com.br/jornal/colunas/socorroacioli/2018/03/paixoes-literarias.html

NEUROGÊNESE


Pratique e se puxe...

1. Exercício aeróbico.
2. Alimentação.
3. Sexo.
4. Estresse e ansiedade sob controle.
5. Mente sempre ativa.

O álcool e as drogas matam os neurônios e alteram a plasticidade sináptica.
E o tabaco, a poluição e qualquer elemento que afete negativamente o sistema nervoso.
E também a falta de exercício mental e a solidão.

Por que os neurônios também morrem por inatividade!

https://www.revistaprosaversoearte.com/5-habitos-que-podem-ajudar-regenerar-os-neuronio

abril 13, 2018

LUCÃO

photo by Leandro Selister

"Um passarinho

Quando aprende a voar
Sabe mais sobre coragem
Que de voo."


PEDAGOGIA 2018

João Francisco, quatro anos,
anda as voltas com monstros e mortos.
Quero ir no cemitério -  vem pedindo alguns dias.
Pra que?
Pra rezar pro meu bisa. Quero ir de noite.
Pra que?
Pra ver a mula sem cabeça.


Não existe.
Existe.
Não tem.
Tem.

Eu quero  ir no cemitério. Vou levar meu  foco.

Fomos. 
Em comitiva matriarcal,
quatro gerações


É aqui?
É.
E a foto?
Não tem.
Só o escrito?
É.


Aqui embaixo tá a pele?
Ta.
Os ossos?
Ta.
E o coração?
Sim.

E o que ta no céu?
O caráter.
A estrelinha?
É.
Vou rezar.
Ta.

(Meu horóscopo diz para fazer o que está ao meu alcance e nada mais. Quando crescer JF vai tratar os traumas, desse fim de tarde, no divã.)

Atualizando: 

João Francisco, fizeram rodinha na escola?
Sim!!
Contou para a profe e os colegas que tu visitou o cemitério.
...
Contou?
................. não.
Ué, por que não?
Fiquei com vergonha deles ri di mim.
Humm... Será? Acho que não iam rir.

JF não quis saber de conversa. Encolheu os ombros e foi brincar com seu mamute pré-histórico.

abril 12, 2018

EDGAR MORIN



"Eu diria que não sou dessas pessoas
que tem uma carreira;
sou daquelas que tem uma vida."

MÚSICA "INOCENTE"

 Nathalia Ehl



As publicitárias Rossiane Antunez, Nathalia Ehl, Carolina Tod e Lilian Oliveira criaram o projeto MMPB: Música Machista Popular Brasileira. Para revelar nesse estupefacto ano de 2018 do século XXI o quanto crescemos ouvindo músicas preconceituosas que retratam de forma afrontosa, com cunho de violência e abuso, a mulher.

Tem Zeca Pagodinho cantando “Aquilo que era mulher...”, Chico Buarque com “Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas”, e Valeska Popozuda incitando a competição feminina na letra de Beijinho no Ombro:

“A ideia é mostrar para as pessoas como a mulher é retratada de forma bem questionável na nossa música há muito tempo. As letras são sintomáticas de uma sociedade sexista”, diz uma das idealizadoras do site. A intenção é uma só: provocar reflexão. O que essas músicas têm em comum? Por que essas músicas incomodam - ou deveriam - incomodar muito mais?”


Velhas Virgens cantam “Buceta”:

"Elas falam demais.
Mas têm o que a gente quer.
E elas torram a nossa grana.

Mas tem o que a gente quer."

Carolina Tod
Tem desde  Racionais, Raimundos até Odair  José. De Tche Garotos à Bezerra da Silva. Vinicius de Moraes ao sertanejos Henrique e Juliano, Jorge e Mateus - sem faltar o Lora, Burra de Gabriel, o Pensador.

Conforme Nathalia Ehl:
“Já passou da hora de esse cenário mudar. Espero que, com esse projeto, possamos conscientizar as pessoas de que nas letras que cantamos no dia-a-dia, na maioria das vezes sem nem perceber, a gente tá contribuindo pra um comportamento que está enraizado na sociedade. A mudança está acontecendo. A luta NUNCA vai parar. E sempre lembrando, galera, que juntas somos MUITO MAIS FORTES.

-NENHUM HOMEM APROVOU ESTE PROJETO-