abril 23, 2018

CESARE PAVESE


"É bom escrever
porque reúne as duas alegrias:

falar sozinho e falar a uma multidão"

300 MUSAS DA MUSICA BRASILEIRA


Quando Tom Jobim canta Um Nome de Mulher... Ou Rita Lee proclama em Todas mulheres do mundo, que toda mulher quer ser amada .. Toda mulher quer ser feliz...  Toda mulher se faz de coitada...  Toda mulher é meio Leila Diniz...  eu busco por elas na mpb ou na nova mmpb – musica machista popular brasileira.

Pensei em várias musas homenageadas -  ou  atacadas como em “Geni”, do Chico.  São letras machistas, românticas, debochadas.   Mulheres que provocam saudades. Outras,  raiva. Provocativas ou submissas.  Marias e Carolinas são tantas que perdi algumas...

Não me detive na letra, essa lista é apenas uma investigação lúdica que iniciou embaixo da nossa jabuticabeira, após um almoço de domingo.

Da curiosidade à pesquisa, tudo na internet. Poucas descobri nos meus vinis e cds.
Listo músicas com nome de mulheres com seus compositores ou na voz de quem fez sucesso.

São quase 300 canções – que não devem se repetir, apesar do nome ser o mesmo, mas a letra é diferente. Ficaram de fora vários gêneros como sertanejo, forró, rap, funk, samba... com rara exceção.

Quem você acha que fez mais músicas com nomes de mulher? Chico ou Jorge Ben?

Descobri um livro “Musas & Musicas”, de Rosane Queiroz, mas não comprei. Ainda!


Espero que você goste, e me avise se lembrou de alguma outra música ou encontrou algo errado na minha seleção:

Maria Helena, Nanci, Acorda, Estela, Adda, Florita, Isaura, Maria Laô – Francisco Alves
Dona Araci, Dona Emilia, Sinhá Ritinha – Noel Rosa
Maria Rosa, Carlucia,  Dona Divergência, Dona Judiaria, Inah; Ai, Margarida -  Lupicínio Rodrigues

Gilda; Ai, que saudades da Amélia – Mario Lago
Ai, Geni; Dona Alice, Dona Helena; Estela, a Porta Estandarte; Maria das Dores, Nega Nhanhã, Rosa  – Ari Barroso

Izaura, Odete, Dora – Herivelto Martins
Iracema; Aqui, Geralda, Malvina – Adoniran Barbosa
A culpada foi Quitéria – Bezerra da Silva

Sereia Guiomar – Dona Ivone Lara
Prece de Vitalina, Zefa Cangaceira – Dolores Duran
Dona Doninha, Elizeth – Suely Costa

Conceição, Isabella - Cauby Peixoto
Maria Bethânia – Nelson Gonçalves

Bouquê de Izabel -  Maysa
Severina Xique-xique,  Julieta, Beth Close, Florisbela - Genival Lacerda

Sebastiana, Marilu; Adeus, Iracema; Ana Rosa; Dança, Mariquinha; Mariá; Maria Baiana; Maria Cangaceira; Nega Zefa, Orélia, Rosinha, Xandusinha – Luiz Gonzaga

Cantiga para Luciana – Evinha (Trio Esperança)
Sá Marina, Clementina de Jesus, Ana Cristina (Meia Volta) ,Naná,  Belinha – Wilson Simonal

Ana Maria – Nico Fidenco

Dora, Marina, Modinha para Gabriela, Modinha pra Teresa Batista, Rosa Morena, Tia Anastacia, Adalgisa, Doralice, Maricotinha – Dorival Caymi
Dína – Pery Ribeiro

Lilian – Leno e Liliam
Stella – Fabio
Marianne, Roberta – Jerry Adriane

Lady Laura, Ana, Malena, Mexerico da Candinha; Rosinha, Susie – Roberto Carlos
Ciça, Cecília, Lucinha, Maria Joana – Erasmo Carlos
Silvia, Tereza Cristina – Ronnie Von

Claudia, Sheila, Tania, Suzana, Sha lala Marisa, Vera Lucia – Renato e seus Blue Caps
Cândida – The Fevers

Maria das Dores, Janira, Rosa da Fonte – Paulo Diniz
Fabiana, Maria Rita – Geraldo Vandré

Cadê Tereza?, Carolina Bela, Denize Rei, Dorothy, Xika da Silva, Rita Jeep, Jesualda, Domenica, Magnólia, Bebete Vambora, Katarina, Veruska, Lady Benedita, Lorraine,  Maria Luiza – Jorge Ben

Maria, Maria – Milton Nascimento
Alice – Flavio Venturini
Petúnia Resedá - Gonzaguinha
Clara, Crocodilo; Shirley Sombra  - Arrigo  Barnabé

Olha Maria; Luiza, Ligia, Tereza, Luciana, Ingrid, Tereza da praia, Ana Luiza, Bebel- Tom Jobim
Dora, Gilda, Irene, Eurídice – Vinicius de Moraes
Rosa Morena, Doralice; Odete, o meu lamento; Rosa Morena – João Gilberto

Meu nome é Gal – Gal Costa

Geni, Rita, Carolina, Cecília,  Januária, Beatriz, Barbara, Ana de Amsterdã, Teresinha, Rosa, - Angelica, Dona Carola, Joana Francesa;  Iracema, Maricotinha, Renata Maria, Sílvia, Teresinha - Chico Buarque



Cristina, Pequena Eva  - Roupa  Nova
Cinderela Aparecida, Elvira Pagú, Gloria F, Luz del fuego, Marília Gabriela, Michelle, Pagú, Yoko Ono, Piccola Marina, Scarlet Moon – Rita Lee 

Flora, Dora, Lady Neyde, Lia, Lindinalva, Lindonéia, Sandra, Luzia Luluza, Madalena, Pretinha,  – Gilberto Gil

Vera Gata, Tieta, Chiquita Bacana, A Rita, Clara Neide, Candolina, Clarice, Irene, Lisbela, Nicinha, Patricia – Caetano Veloso

Aline Maria, Angela, Lena, Nanny, Tania - Raul Seixas            
Rita Lee, Vírginia – Os Mutantes

Maria da Mercedes – Djavan
Adeus, Maria Fulô; Nara, Sexi Silvia - Joyce
Abigail caiu do céu; Ai, Aydée; Cigana Carmen -  João Bosco
Maria da Vila Matilde, Benedita, Alicinha, Sinhá Mandaçaia  – Elza Soares

Eu sou Lia; Maria Sambamba, Nega Luzia -  Paulinho da Viola


Senhora Dona, Ciranda da Mãe Nina; Íris, Maria dos Santos  – Alceu Valença
Luciela, Mary Mar  – Zé Ramalho

Acalanto para Helena; Cala a Boca, Bárbara; Maria Escandalosa - Ney Matogrosso
Doralinda – Cazuza

Madalena, Dinorah, Dandara;  Bia,Bia,Beatriz; Renata Maria  – Ivan Lins
Belinha; Carolina, Carol, Bela; Zana - Toquinho
Yolanda – Simone

Anna Bella, Sissi – Marina Lima
Garota Mata Hari, Laura Regina, Mônica  - Angela Ro Ro
Canção para Cristina; Geisa, Cristina, Linda Rosa  – Tim Maia

Amanda – Lulu Santos
Quando Nara ri – Adriana Calcanhoto

Cabocla , Guiomar, Mary Lu, Moqueca de Idalina, Nega Judite; O nome dela é Griselda; Pagode da dona Didi; Vou ver Juliana  – Zeca Pagodinho

Debora, Maria Fedida, Parque da Juraci, Valerie – Zeca Baleiro
Dorinha, meu Amor; Laura, Linda Tereza; Mary, Maura  – Luiz Melodia

Cadê, Dalila; Eva  – Ivete Sangalo
Maria Clara, Maria Cesaria, Nina – Daniela Mercury
Silvana – Zizi Possi
Bia, a Sonhadora – Oswaldo Montenegro



Bete Balanço – Barão Vermelho
Clarisse, Fátima, Leila, Mariane, Natália  – Renato Russo
Ana Julia, Melissa, Aline – Los Hermanos
Camila – Nenhum de Nós
Alice – Kid Abelha
Janaína – Biquíni Cavadão
Zoraide – Ultraje a Rigor
Katia Flavia – Fausto Fawcett

Monica Tricomônica, Babalu – Nei Lisboa
Carolina – Seu Jorge
Vania – Banda Uó
Monalisa, Ive Brussel, Olhos de Ísis – Jorge Vercillo

A bruxa Nicácia – Ana Carolina
Alzira e a Torre; Rita -  Lenine
Renata Ingrata – Latino
Caroline – Raça Negra
Jacira – Emicida
Gilda - Navelouca



AH, OS LIVROS...


Dia do livro hoje... Não esqueceu um por aí?


“A vida de um leitor não é feita somente dos momentos da leitura.
Há muita coisa que acontece nas outras horas.
A forma como cada livro chega, por exemplo.

Pode ser comprado, emprestado, presenteado, roubado, herdado.
Pode ser um exemplar que apareceu sem saber de onde, esquecido em uma mesa de bar, enviado por engano.

Algumas leituras são fruto da insistência de amigos: você precisa ler isso. Você tem que ler isso. Você não pode morrer sem ler esse livro...
(...)
O que todo leitor deve desejar é a sorte de ler os livros certos.
Que eles venham como presentes, empréstimos, obrigação, não importa.

Mas que sejam os melhores, que causem pequenas revoluções e despertem paixões literárias descontroladas que iluminem a vida.”

Socorro Acioli
https://www.opovo.com.br/jornal/colunas/socorroacioli/2018/03/paixoes-literarias.html

NEUROGÊNESE


Pratique e se puxe...

1. Exercício aeróbico.
2. Alimentação.
3. Sexo.
4. Estresse e ansiedade sob controle.
5. Mente sempre ativa.

O álcool e as drogas matam os neurônios e alteram a plasticidade sináptica.
E o tabaco, a poluição e qualquer elemento que afete negativamente o sistema nervoso.
E também a falta de exercício mental e a solidão.

Por que os neurônios também morrem por inatividade!

https://www.revistaprosaversoearte.com/5-habitos-que-podem-ajudar-regenerar-os-neuronio

abril 13, 2018

LUCÃO

photo by Leandro Selister

"Um passarinho

Quando aprende a voar
Sabe mais sobre coragem
Que de voo."


PEDAGOGIA 2018

João Francisco, quatro anos,
anda as voltas com monstros e mortos.
Quero ir no cemitério -  vem pedindo alguns dias.
Pra que?
Pra rezar pro meu bisa. Quero ir de noite.
Pra que?
Pra ver a mula sem cabeça.


Não existe.
Existe.
Não tem.
Tem.

Eu quero  ir no cemitério. Vou levar meu  foco.

Fomos. 
Em comitiva matriarcal,
quatro gerações


É aqui?
É.
E a foto?
Não tem.
Só o escrito?
É.


Aqui embaixo tá a pele?
Ta.
Os ossos?
Ta.
E o coração?
Sim.

E o que ta no céu?
O caráter.
A estrelinha?
É.
Vou rezar.
Ta.

(Meu horóscopo diz para fazer o que está ao meu alcance e nada mais. Quando crescer JF vai tratar os traumas, desse fim de tarde, no divã.)

Atualizando: 

João Francisco, fizeram rodinha na escola?
Sim!!
Contou para a profe e os colegas que tu visitou o cemitério.
...
Contou?
................. não.
Ué, por que não?
Fiquei com vergonha deles ri di mim.
Humm... Será? Acho que não iam rir.

JF não quis saber de conversa. Encolheu os ombros e foi brincar com seu mamute pré-histórico.

abril 12, 2018

EDGAR MORIN



"Eu diria que não sou dessas pessoas
que tem uma carreira;
sou daquelas que tem uma vida."

MÚSICA "INOCENTE"

 Nathalia Ehl



As publicitárias Rossiane Antunez, Nathalia Ehl, Carolina Tod e Lilian Oliveira criaram o projeto MMPB: Música Machista Popular Brasileira. Para revelar nesse estupefacto ano de 2018 do século XXI o quanto crescemos ouvindo músicas preconceituosas que retratam de forma afrontosa, com cunho de violência e abuso, a mulher.

Tem Zeca Pagodinho cantando “Aquilo que era mulher...”, Chico Buarque com “Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas”, e Valeska Popozuda incitando a competição feminina na letra de Beijinho no Ombro:

“A ideia é mostrar para as pessoas como a mulher é retratada de forma bem questionável na nossa música há muito tempo. As letras são sintomáticas de uma sociedade sexista”, diz uma das idealizadoras do site. A intenção é uma só: provocar reflexão. O que essas músicas têm em comum? Por que essas músicas incomodam - ou deveriam - incomodar muito mais?”


Velhas Virgens cantam “Buceta”:

"Elas falam demais.
Mas têm o que a gente quer.
E elas torram a nossa grana.

Mas tem o que a gente quer."

Carolina Tod
Tem desde  Racionais, Raimundos até Odair  José. De Tche Garotos à Bezerra da Silva. Vinicius de Moraes ao sertanejos Henrique e Juliano, Jorge e Mateus - sem faltar o Lora, Burra de Gabriel, o Pensador.

Conforme Nathalia Ehl:
“Já passou da hora de esse cenário mudar. Espero que, com esse projeto, possamos conscientizar as pessoas de que nas letras que cantamos no dia-a-dia, na maioria das vezes sem nem perceber, a gente tá contribuindo pra um comportamento que está enraizado na sociedade. A mudança está acontecendo. A luta NUNCA vai parar. E sempre lembrando, galera, que juntas somos MUITO MAIS FORTES.

-NENHUM HOMEM APROVOU ESTE PROJETO-

“A ODISSEIA LITERÁRIA DE UM MANUSCRITO”


Certo dia de agosto de 1966, o colombiano Gabriel García Márquez foi até o Correio de San Angel, na cidade do México, levar um pacote com quinhentas e noventa folhas de papel comum, em espaço duplo, escritas à máquina, para despachar para o editor, em Buenos Aires.

Pacote pesado, faltou dinheiro. A solução encontrada: dividir o manuscrito ao meio. Para despachar uma das metades, ele e a esposa Mercedes  acabaram empenhando o aquecedor, uma batedeira e as alianças de casamento.

Em meados de 1965, a família Márquez foi passar um finde e Acapulco. Dirigindo o carro sentiu-se “fulminado por um cataclismo na alma, tão intenso e arrasador, que apenas consegui desviar de uma vaca que atravessava a estrada.”

Passou um finde inquieto e assim que voltou  sentou em frente à máquina de escrever, para datilografar  “a frase inicial que já não podia suportar dentro de mim”:

Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo’.

Gárcia Márquez  escreveu 100 Anos de Solidão durante 18 meses, todos os dias, das nove da manhã às três da tarde.

Toda essa história bacana pode ser conferida aqui:

https://www.revistaprosaversoearte.com/os-segredos-da-obra-cem-anos-de-solidao-de-gabriel-garcia-marquez/



abril 11, 2018

UM CERTO BEIJO...


Foi um beijo. No rosto. Um beijo leve. Rápido, um roçar de beijo, mas foi um beijo, sim, tenho certeza, um beijo na face direita. Um beijo de gratidão? Um beijo apressado, meio escondido, mas por querer, querendo talvez um passado. Um beijo inesperado, com cheiro de sol e grama molhada. Um beijo conspirado? Foi com certeza um beijo repentino, que me pegou de jeito, logo eu, que adoro surpresa, ganhei de presente um beijo delicado.

abril 07, 2018

FREI LEONARDO BOFF

“As oligarquias, os donos do dinheiro nunca aceitaram que alguém do andar de baixo chegasse à presidência da República. 

Que um sobrevivente da grande tribulação, como Lula, chegasse a ser a pessoa que transformou as relações sociais no Brasil.

A gente precisa entender que se trata de um golpe de classe que utiliza o parlamento para novamente voltar ao poder e garantir o nível de acumulação que eles temiam perder e, por isso, esse impeachment tem que ser denunciado como um golpe armado pela oligarquia do dinheiro, pelos 77.440 super ricos que controlam mais da metade do PIB brasileiro.”

DO MEU FEISSIBUQUI *

Alberto Benett

* Antes das redes sociais, você alargava suas ideias com os livros, com o teatro, o cinema e, com sorte, alguns professores.  Uns, pela imprensa. Outros, pelas novelas.

Agora...  as redes sociais. Onde exibimos os filhos, as viagens, os shows, nossas emoções e até o que pastamos. 

Sigo cartunistas, escritores, fotógrafos, artistas plásticos, atores, jornalistas, músicos, poetas... e amigos de carne e osso e centenas de "amigos" desconhecidos.

E assim eles sigo me construindo. Mas sei por Zygmunt Bauman, redes sociais são armadilhas...


Renato Aroeira

"Estou com "o cara". E quero que todos saibam."



"PS: a pedidos, suavizarei meu recadinho: este é um post de homenagem e respeito a um grande cara. Pensem bem no que vão escrever. Outro dia a gente discute. Se precisar, deleto. Se for muito exagerado e canalha, bloqueio."️


Jorge Furtado

"Fake news.
Ontem comentei com amigos que hoje seria o dia dos canalhas fingirem tristeza. Todo canalha é um mentiroso. Um destes canalhas mentirosos que hoje finge tristeza - não digo seu nome porque os canalhas lucram com a infâmia - escreve hoje que Lula confessava que não lia livros "por preguiça". Isso é mentira, pura e simples, Lula nunca disse isso.
Esta foi uma das milhares de mentiras espalhadas pelos papagaios de aluguel da elite escravocrata (e corrupta), que precisa de pessoas sem caráter que inventem explicações racionais para o seu racismo social."



Xico Sá

O mecanismo era apenas um seriado pra amaciar a consciência burguesa. A grande série brasileira se chama O Objetivo: prender o líder das pesquisas, o Cara q fez o Brasil crescer 7% no PIB, o sapo barbudo q ganharia a eleição de novo, o maior presidente da história desse país.

Kayser



Jorge  Furtado

"A Constituição Brasileira já foi modificada 4 vezes para impedir que Lula chegasse ao poder. 

A primeira vez em 1988, quando aumentaram para 5 anos o mandato de José Sarney, com medo que Lula se elegesse em 1988. 

A segunda vez em 1997, com a emenda - comprada com dinheiro em malas - que permitia a reeleição de FHC, que assim derrotou Lula em 1998. 

A terceira vez em 2015, acabando com a reeleição e aumentando o mandato para 5 anos, com medo de Lula voltar para mais 8 anos em 2018.

 A quarta foi ontem, para que ele não ganhasse a eleição em outubro. Todos estes atropelos à constituição tiveram o aval do STF que, na hora h, faz o que a banca manda.

Ao mesmo tempo em que mandavam para a prisão o líder de todas as pesquisas eleitorais, os ministros já deixaram claro que isso só vai valer para o Lula, depois volta tudo como antes, Aécio, Serra, Temer, Jucá, Geddel, Azeredo, Padilha, podem todos dormir em paz, voltou a presunção de inocência pessoal! E há quem comemore o supremo golpe."


Gilmar de Oliveira Fraga



Fran Sphor

Fio

Na Mauritânia quase nunca chove. 
Poucos lembram o que é chover.
Acham que escutam o barulho da chuva no meio da noite e ficam com medo, porque de dia, acordados, não sabem que som ela tem.
Para combinar com seus fantasmas, eles se casam com mulheres bem gordas, que se parecem com nuvens.
Desde jovens, essas moças vão sendo engordadas e acomodadas em seu formato de nuvem.
Elas escutam barulhos dentro de si a noite inteira.
Aqui a chuva não tem vindo dentro do previsto.
Quase sempre de menos ou muito mais.
Nunca perfeita.
- Você precisa se desapegar dessa ideia de perfeição....Ela te limita ao idílio.
Eu só queria que chovesse o suficiente.
Uma tarde eu disse isso, você levou para o lado pessoal e eu nunca mais te vi.
Mas não era pessoal. 
Era climático.

The Guardian


The fate of Lula da Silva is the very fate of Brazilian democracy

A group of parliamentarians, academics and others say Lula should be allowed to stand in the presidential elections so that Brazilians can decide their own future, while Richard Bournewarns of the growing threat of the right in Brazil




Moisés Mendes

A cobertura da imprensa do golpe pede que Lula seja considerado foragido. Imagino o climão em redações que enfrentaram a ditadura.
Mas tem também muito comentarista fofo ou isentão com a voz trêmula e a goela seca.
O jornalismo de opinião da grande imprensa se agacha e rasteja. Com Jucá e com tudo nas costas.
Uma exibição de subserviência de constranger estudantes de jornalismo.

Ivan Martins



“Aquelas "300 pessoas" que, segundo os bobalhões do Facebook, se concentravam na porta do Sindicato dos Metalúrgicos, viraram milhares. Em defesa do Lula e da justiça. Como diz o rabino que fala aqui, neste momento, "estamos sentindo o cheiro do fascismo". Todos sentimos, rabino, menos os bobalhões.”

Rafael Corrêa


"Duas palavras vem à minha mente nesse momento: desobediência civil"

Jornalistas Livres




Jandiro Adriano Koch

 "E pensar que em vez de em São Bernardo do Campo estou no Vale do Taquari.... Deplorável."


Izânio Façanha


Ana Reckzieguel de Sousa

TODO BRASILEIRO PRECISA LER
"Lula não foi condenado pelo tríplex (esqueçam isso!). 
Lula foi condenado quando decidiu que cada brasileiro deveria fazer três refeições ao dia. 
Lula foi condenado quando tirou o brasil do mapa da fome mundial. 
Lula foi condenado quando milhões ascenderam socialmente. Lula foi condenado quando decidiu que pobres poderiam chegar à universidade e às escolas técnicas. 
Lula foi condenado quando a filha do pedreiro virou engenheira, o filho do garçom virou advogado e o negro favelado deixou de ser bandido para ser médico: invertendo, assim, a lógica dessa porra toda. 
Lula foi condenado quando começou a dar show pelo mundo, no g-20, nas nações unidas e nos cambau a quatro. 
Lula foi condenado quando investiu mais em educação e saúde que todos os outros presidentes. 
Lula foi condenado quando investiu no nordeste brasileiro, sempre esquecido. 
Lula foi condenado quando mostrou à elite deste país que um operário sabia governar. 
Lula foi condenado quando alcançou 80% de aprovação popular. Lula foi condenado por suas virtudes, não por seus eventuais pecados. 
Lula é imenso, do tamanho do Brasil. 
Lula é a história." Dr. Frases

Edu Oliveira


"Quem tem a alegria de entender as coisas subjetivas sabe que mesmo preso, Lula continuará livre, pois Lula nada mais é que o veículo de uma idéia que nunca conseguiram calar, prender, ameaçar. Como ele existem vários veículos, sempre existiram. 

Dá para prender o corpo, matar o símbolo, mas não a idéia, pois ela desceu das árvores junto com nossos antepassados. 

Cada vez que alguém diz obrigado, com licença, cada vez que um motorista respeita a sinalização, essa idéia é repetida, se solidifica e se perpetua."

Vamos Plantar uma árvore?
https://www.facebook.com/groups/409527975828816/

Sylvia Moretzsohn

"Sinceramente, à parte qualquer outro comentário, ver a cobertura ao vivo da GloboNews é um troço profundamente constrangedor pra quem sabe alguma coisa de jornalismo.
Que vergonha."





Santiago Neltair Abreu
"Ilustração para a última edição da revista Le Monde Diplomatique Brasil em matéria que fala de reformas anti povo propostas pelo presidente francês Emanuel Macron!!!  Ingualzim que aqui !!!!!"


Taila Idzi

teoria geral da boa fé
não coloco grades nas portas e janelas
porque quero meus olhos livres de barras
não desejo viver trancafiada
enquanto sei que a violência existe
desarmo o pensamento
desarmo os olhos
desarmo as palavras
há muito gatilho no mundo
pros acasos, pros infortúnios
talvez estejam criando a doença
pra justificar o preço do remédio
talvez a doença nem exista
nos vendem o medo da doença
nos vendem o medo da violência
nos vendem o medo do outro
sempre haverá quem compre


Cau Gomez





Lélia Almeida


“O melhor momento da vida é quando ela é sua.”


Paulo Vilanova



* E para quase terminar... Sim, ainda compro livros, rabisco, fotografo, cheiro, passo a língua, levo pra cama.



Tacho

UMA COR É UMA COR

Os sapatos de Dorothy?
De uma torcedora do Inter?
Petista? Comunista?
.
.
.
.
.
.
.

Apenas, vermelho sedução.

abril 03, 2018

DARCY RIBEIRO

“Se os governantes 
não construírem escolas,
em 20 anos faltará dinheiro 
para construir presídios.”

RIR NÃO TEM CONTRAINDICAÇÃO

Eles abriram o 6º Festival de Palhaços Ri Catarina, em Florianópolis, nesta semana.

Amanhã se apresentam  no Teatro do SESC de Lajeado, às 20 horas. 

Não sei se é bom, não sei nada.  Mas, vou. Sempre vou. Se conter piadas preconceituosas - vou embora. Tolerancia zero.

Por falar em teatro, curti o que o Ruy Filho,  editor da revista digital Antro Positivo, escreveu no FeissiBuki:


“apenas um conselho aos jovens atores 
quando entrarem em cena:

não gritem
não gritem
não gritem
não gritem
não gritem
não gritem
não gritem
não gritem
não gritem
não gritem

NÃO GRITEM!!!!”


DE QUEM É A CULPA?


Repercutiu nas redes sociais. Deu no Jornal Nacional. Capa dos jornais. 
Assunto do dia de ontem, o ato criminoso, o ato  incendiário  no saguão do pronto atendimento do hospital Bruno Born, em Lajeado.

Não me surpreendi – inventei de escrever.  E aos comentários, menos ainda.

Gente que vive na redoma dos condomínios e edifícios “inteligentes”. Com suas viagens internacionais e cardápios elegantes. Gente que tem planos de saúde exorbitante. Gente que sequer precisa de planos de saúde.

E gente que rala, claro. Reclusos na pobre redoma cultural.

Para ambos os grupos vislumbro a tal força da miséria da espiritualidade, que Marcia Tiburi explica na revista Cult, de março.

Quem ousou botar fogo era bandido. Era assassino. Ninguém vai compactuar com uma atitude, um ódio criminoso.

Que ousadia esse bandido  levar o filho ao pronto atendimento... –  li.
Que ousadia o PA do HBB sem um segurança no domingo de Páscoa... Alias, onde estava mesmo? Ou acreditam que algo  assim nunca aconteceria?

Demorou. Atendimento ruim. 
Tolerância dos pacientes a ponto de bala. A ponto de facão.

Posso dizer que não é diferente no “privilegiado” Pronto Atendimento da Unimed.
Alguém da família penou a tarde toda naquele saguão sufocante. Gemia de dor. Não era prioridade.
Quando atendida, a médica quis levar direto para mesa de cirurgia.

Por outro lado, também demorou nas duas ocasiões em que fui atendida  no arejado Posto de Saúde, próximo ao Jardim Botânico. Logo eu, cliente do plano regional da Unimed, tirando a vaga de outro cidadão.

Ficamos assim, no recôndito do whats se queixando do pronto-atendimento do HBB. 
E por temer represália, por temer inimizades, calados. 
Aliás, FORA TEMER.

Por isso, repito, não me surpreendo com a estupidez do pai do menino febril. Agora, mais um menino sem pai.

Eu que não sou bandida – ainda – já tive vontade de...


PENSAMENTOS ANTAGONICOS

 Uns apostam na educação, na melhoria do ensino.
Enxergam mais longe.
Seguem a cartilha do antropólogo Darcy Ribeiro:
 educação para reduzir a criminalidade.
Presos custam 13 vezes mais que um estudante.
Empresários e notáveis da nossa “boa sociedade”, 
com amplo acesso aos meandros 
legislativos e executivos do Estado, 
contribuíram com o governo...