novembro 05, 2013

COMUNIDADE YUBA

Mirandópolis, São Paulo. População estimada em  27 475 hab. conforme o  Censo de 2010.  É lá que se desenvolveu a comunidade Yuba, formada por cerca de sessenta nipo-brasileiros oriundos de vinte familias, que emigraram do Japão em 1908 com navio Kasato Maru.

A filosofia da comunidade foi elaborada pelo imigrante japones  Isamu Yuba (1906-1976),  que fundou a colônia em 1935.
Atualmente, a Comunidade Yuba é composta de Issei  daprimeira geração” à “Yonssei” da quarta geração. São 24 famílias, num total de 60 pessoas. A linguagem utilizada dentro da Comunidade é a língua japonesa e, as crianças e jovens, freqüentam a escola estadual. O líder da comunidade é Tetsuhiko Yuba, filho mais velho do fundador da comunidade, que faz questão de manter os mesmos princípios da época de seu pai.
Na fazenda Yuba as crianças aprendem que cultivar a arte é tão importante quanto o trabalho na roça. A mentalidade é trabalho, reza e arte.
O tripé que sustenta a relação desses agricultores é apenas um modo diferente de viver. Um jeito comunitário, no qual a aridez das dificuldades diárias convive com a manifestação artística no palco.
Em um barracão, construído em 1961,  trator e caminhão dividem o mesmo teto com o piano de cauda, violinos e violoncelos.
Mas as atividades culturais não se restringem apenas ao balé, mas também teatro, coral, recitais com vários instrumentos musicais, a pintura, a cerâmica, o haicai e o artesanato. 
A comunidade vive em uma fazenda de 110 hectares onde plantam milho, horta, abacaxi, goiaba, manga e romã e ainda criam porco, galinha e gado.

Para viver na comunidade é preciso aceitar a idéia de que ninguém tem nada próprio.
Tudo é de todos e quando alguém precisa de dinheiro para algo particular é preciso pedir para o líder da comunidade.
A filosofia de Issamu Yuba é aberta. Quem quer vir para cá pode vir, quem quer ir embora pode ir embora. É tudo aberto. Você tem que abrir o seu coração, senão, não entra nada para você, diz Katsue.”

Interessa?