janeiro 09, 2014

OLY PEDRINHO SCHWINGEL

Nas bancas, a ultima edição da revista "GENTE que faz" dos publishers Martin Augustin e Neiva Schneider. Entrevista de capa super  bacana da jornalista Andrea Lopes com Eva Sopher, matéria sobre roteiro turístico "Pulsa Miami!", e também minha entrevista com o médico e parapsicólogo Oly Schwingel, de Venâncio Aires, entre outras diversas reportagens.
     “Escreva lentamente e com uma mão cuidadosa. 
Porque fazer as coisas bem é mais importante do que apenas  fazer.” 

"Esse epílogo, de autoria incerta, provoca um certo sossego. Lentamente no caso dessa reportagem pode significar dias. Até o sol se despedir passei uma tarde conversando com o médico Oly, em Venâncio Aires.
Levei junto uma listinha de questões que parece só interessavam a mim. Sem chance as provocações. Assim que cheguei Oly convidou para conhecer o Hospital São Sebastião Mártir onde, desde maio, assumiu a presidência. Depois de duas horas voltamos a sua casa, onde transcorreu a entrevista."
Anjos da guarda: Valdiria, Lesane e a golden Flora

"Escrever lentamente para distanciar dos meus sentimentos pareceu um cuidado importante para não transformar essa reportagem em tietagem explícita."
       

"Oly Pedrinho Schwingel, 58, o mais moço dos quatro filhos da enfermeira Luíza e do industriário Rodolpho Schwingel. Do prenome afetivo “Pedrinho” herdou o gosto por mapas, plantas arquitetônicas e futebol. Aliás, um colorado que chegou a integrar o plantel do Riograndense de Santa Maria, cidade onde em 1983 formar-se-ia em Medicina. Oly lembra que pleiteava residência em Psiquiatria. Três anos depois, um acidente de carro nas proximidades de Santa Cruz do Sul, deixaria sequelas corporais irreversíveis."

Reportagem na íntegra?  Procure nas bancas.
Texto e fotos de Laura Peixoto